AUTENTICAR

Primeiro pessoa depois consumidor

 

1 - Primeiro Pessoa depois Consumidor

            - Unir os consumidores à empresa e aproximar as marcas às pessoas

            - Querem-se marcas que inspirem para uma sociedade responsável

            - Estar em comum connosco e com os outros

Sob a cabeça dos dirigentes empresariais, dos marketers em geral e dos profissionais da comunicação em particular pende um triângulo de responsabilidades, desenhado por um conjunto de estímulos comunicacionais que, antes de unirem o consumidor às empresas e seus produtos, aproximam as pessoas das marcas, com o propósito de construir entre ambas as realidades um clima de reciprocidade e salutar convivência.

As alterações sociais, a evolução tecnológica, com especial relevo para os meios digitais, a saturação dos mercados e a postura do homem contemporâneo exigem das empresas, hoje transformadas em marcas, uma visão holística (SCHMITT, 1999), a criação de experiências enquanto momentos únicos (PINE II E GILMORE, 1999), uma relação “apaixonada” pelos clientes (ROBERTS, 2005), um “pensar diferente” (YOUNG E AITKEM, 2007) a dinâmica relacional numa sociedade hedonista, onde o prazer dita as regras (LIPOVETSKY, 1989) e onde valores outrora absolutos (família, escola, estado) parecem estar em causa (GIDDENS, 2005), sendo que as marcas poderão assumir um papel decisivo na transformação da sociedade, como agentes inspiradores e exemplos de atuação sustentada e responsável.

Comunicar é um ato intrínseco à condição da vida humana, mas é cada vez mais uma arte para se viver e saber viver em sociedade. Desde os atos mais banais do nosso quotidiano – como olhares que se cruzam, omissões que tanto comunicam... - às decisões e atitudes profissionais mais decisivas, a comunicação é uma constante, cujas técnicas se aprendem a dominar. Mais do que um lugar-comum, a comunicação é um passo determinante para estarmos em comum, connosco, com os outros, com o mundo.

Não se trata de uma tarefa afastada das pequenas empresas; trata-se antes de saber quais são as áreas a privilegiar também entre o vasto universo das PME portuguesas, sobretudo porque gestão é, acima de tudo, comunicação; e gestão quer-se tanto numa pequena como numa grande empresa!

Ler também - Comunicação Integrada de Marca: Conectar com o individuo-consumidor a uma só voz

Paula Arriscado

Diretora de Comunicação e Marketing da Toyota Portugal (Grupo Salvador Caetano)

Docente no IPAM

Doutoramento em Gestão de Marca e Comunicação Integrada


Docente no IPAM, no Mestrado em Gestão de Marketing e Licenciatura Ciências do Consumo.

Possui Doutoramento em Gestão de Marca e Comunicação Integrada, pela Universidade de Santiago de Compostela (2008) e a Licenciatura em Jornalismo.

De 1991 a 2000, colaborou em vários Órgãos de Comunicação Social, destacando-se a Rádio Nova, a TSF e a Revista Máxima.

Desenvolveu paralelamente uma vasta atividade na área da Comunicação Empresarial (Associação Empresarial de Portugal/Exponor, câmaras municipais de Esposende e Arcos de Valdevez, Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal, APCER, Porto Editora, entre outras)

Foi eleita “Profissional de Marketing do Ano 2005 no Sector Automóvel”, pela APPM.

Integra o Júri em processos de obtenção do título de Especialista para Docência no Ensino Politécnico, no âmbito do consórcio estabelecido entre o IPAM, a Universidade do Porto e Universidade de Coimbra.

Linkedin

Mais nesta categoria: Mediavisão: O mundo do eye am »

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.