AUTENTICAR

Marketing e Empreendedorismo

Nos últimos anos tem havido uma evolução grande na investigação, e na aplicação prática do Marketing e do Empreendedorismo, duas áreas consideradas consensualmente como fundamentais para o desenvolvimento das empresas e, em consequência, para o desenvolvimento económico e social dos países.

É incontestável que existe uma relação directa entre o nível de Empreendedorismo num país e o seu desenvolvimento económico. Percebemos assim claramente a importância da promoção doempreendedorismo, ainda mais, nos dias actuais, tendo em conta o clima socioeconómico que Portugal e a Europa atravessam.

Importa, também, realçar que o Empreendedorismo não está relacionado apenas com a criação de empresas, nem tão pouco com as micro e as PME. O Empreendedorismo está igualmente ligado às grandes empresas, qualquer empresa ou organização precisa de colaboradores criativos e empreendedores, pois eles são a força motora para as empresas inovarem, se diferenciarem, criando valor e se desenvolverem e, assim, criarem a sua identidade. Os empreendedores criam empresas, desenvolvem projectos novos dentro das empresas existentes, reestruturam empresas e expandem empresas. Falar de Empreendedorismo na criação de empresas, de intra-empreendorismo e de organizações empreendedoras é falar de cultura empreendedora.

O Marketing tal como o Empreendedorismo está (ou deverá estar, porque infelizmente em muitos casos o Marketing ainda é claramente negligenciado) presente em qualquer empresa, não apenas nas grandes empresas, mas também nas micro e PME. Peter Drucker ia mais longe e afirmava que o objectivo de qualquer empresa é estar no mercado, é ter clientes e que, por isso, as empresas têm apenas duas funções básicas, o Marketing e a Inovação, todas as outras representam custos e por isso mesmo o Marketing deve estar presente em todos os departamentos da empresa.

A verdade é que o Marketing e a comunicação são fundamentais. Podemos ser os melhores do mundo no que fazemos, no entanto, se não o comunicarmos ou se o comunicarmos mal, ninguém vem ter connosco, não vamos vender nem vamos garantir a sustentabilidade e crescimento da empresa.

E o Marketing e Empreendedorismo juntos? Qual a possível relação? Que valor pode gerar essa relação?

Marketing está intimamente ligado a todas as fases do processo Empreendedor[1], as orientações e a perspectiva do Marketing são sem dúvida uma mais-valia para um Empreendedor ou uma empresa e, portanto, percorrem as várias fases do processo empreendedor.

Entendo o processo empreendedor como um modelo que se constitui como a base de sustento de toda a actividade empreendedora, seja na criação de empresas, lançamento de novos produtos ou serviços ou ainda a expansão e internacionalização de empresas, processo esse constituído por cinco fases: Cultura Empreendedora; Ideia-oportunidade; Projecto; Recursos; Startup.

A ideia (criatividade) é fundamental, a oportunidade (inovação) é, no entanto, essencial, só ela garante a razão de existir de qualquer empresa. O Marketing tem um papel fundamental nesta fase pois é ao Marketing que cabe o papel de realizar análises de mercado e avaliar se as ideias são realmente oportunidades. Pode acontecer as ideias não serem realmente oportunidades, o que é natural, mas isso não deve ser desmotivador para o(s) Empreendedor(es), pois faz parte do processo. Apenas uma pequena percentagem de ideias se revelam verdadeiras oportunidades, e é preciso continuar a trabalhar e seguir em frente.

Na fase do projecto (plano de negócios), o Marketing tem igualmente um papel preponderante. Os planos de negócios integram normalmente um conteúdo dedicado ao Maketing; todavia, o Marketing vai mais longe e está integrado na restante estrutura do documento, nomeadamente na sua base, a análise estratégica que irá determinar a evolução de toda a planificação do projecto.

Um empreendedor ou empresa, constituída para garantir a implementação do seu projecto, necessita angariar ou munir-se dos recursos necessários, que podem ser humanos, materiais e financeiros. O Marketing tem aqui novamente um papel fundamental, apenas uma eficaz e eficiente estratégia de Marketing, reforçada por uma comunicação personalizada, destinada a um público-alvo específico – Banca, Business Angels, Capital de risco, potenciais sócios ou colaboradores –, permitirá passar a mensagem e garantir o sucesso na angariação de recursos.

Por último, na fase de startup, o Marketing é um factor crítico de sucesso, a empresa já existe e agora precisa de vender … e aqui apenas a correcta implementação, acompanhamento, monitorização e rectificação, quando necessário (se o ambiente externo ou interno mudar o empreendedor ou empresa não podem ficar colados ao papel), permitirá obter o sucesso desejado.

O Empreendedorismo e as competências empreendedoras, nomeadamente a criatividade, a inovação, a resiliência, entre outras, são igualmente uma mais-valia para o Marketing e o desempenho de qualquer empresa nesta área. O Marketing tem que ser, cada vez mais, um Marketing empreendedor, principalmente no ambiente dinâmico, mais competitivo e em constante mutação em que empreendedores e empresas estão envolvidos actualmente.

As metodologias e as ferramentas utilizadas são, em alguns casos, necessariamente diferentes, mas os objectivos a atingir são os mesmos: diferenciar, criar valor e permitir o desenvolvimento e crescimento das empresas.

Devemos assim apoiar esta relação, de enorme potencial, entre o Marketing e o Empreendedorismo, promovendo em consequência o desenvolvimento do nosso tecido empresarial.


[1] Tal como é visto e percebido pela IncubIT

 

Marco Lamas

Managing Partner da IncubIT e Docente no Ensino Superior na ESEIG e no IPAM, nas áreas do Empreendedorismo e Estratégia.


Licenciado em Relações Internacionais, Mestre em Educação, Doutorando em Educação e Empreendedorismo, sendo ainda no IPAM coordenador da Pós Graduação em Marketing & Empreendedorismo.

Trabalho desenvolvido nacional e internacionalmente em ambiente empresarial e em ambiente Universitário.

É Business coach certificado pela ECA (European Coaching Association), consultor de empresas e formador (certificado pelo IEFP e pelo Concelho Cientifico Pedagógico de Formação Contínua) nas áreas do Empreendedorismo, gestão, Estratégia, Balanced Scorecard e Desenvolvimento Humano, é ainda Formador de Formadores e Professores (Empreendedorismo e formação pedagógica Inicial de Formadores).

Colabora com revistas, jornais e portais, escrevendo artigos de opinião.

 

Linkedin Twitter Facebook

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.