AUTENTICAR

TSF Rádio Notícias com impacto negativo na rede

Depois de casos da Ensitel e Fernando Nobre, surge mais um caso com uma Marca que tão bem conhecemos (com mais de 20 anos!) que, no espaço de minutos, viu a sua reputação na rede cair por água abaixo. Durante o fórum TSF com José Sócrates, o “buzz” negativo na rede começou a adquirir proporções descontroladas e o “boom” de comentários foi quase imediato. Os utilizadores descontentes não param de criar "buzz negativo" no site e no Facebook da Marca. Mais uma vez, a transparência e a  ética são postas em causa e, o descontentamento (como sempre!) adquire uma proporção viral sem precedentes.

A TSF, como muitos ouvintes relatam, faz companhia a muita gente (no carro, em casa, etc.) e, depois desta entrevista a José Sócrates, muitos ouvintes acusam a TSF de ter sido parcial e ter sido “paga” para melhorar a reputação do candidato pelo Partido Socialista. Ao que parece, durante todo o Fórum, foram para o ar pessoas a elogiar o Primeiro - Ministro e, ninguém o confrontou (coisa que certamente muitos de nós gostariam de ter feito!). A TSF está a ser acusada de ter montado muito bem o cenário em prol do PS e, obviamente, de José Sócrates.. O que me interessa destacar daqui é a paixão que muitas pessoas demonstram ter para com a TSF o que, obviamente se transformou em desilusão e não pode (ou não deve!) ser ignorado. Pela análise que fiz aos comentários que chegam de todos os lados (literalmente!), a critica negativa está a tomar conta da reputação da TSF e, está a por em causa anos de trabalho e de confiança que a Marca conquistou (para ver comentários basta ir ao Site ou à página do Facebook). Este é mais um exemplo de que as pessoas têm cada vez mais voz. Mesmo que não tenham conseguido ir" para o ar" no fórum, vão dar a sua opinião, seja onde for, seja como for. Também muitas questões que podiam ter sido colocadas a José Sócrates estão disponíveis nos canais da TSF (vejam esta excelente ortunidade de campanha. Eu aproveitava para responder uma a uma. Já viram o que seria recebermos uma resposta, do Primeiro - Ministro, num comentário que tínhamos posto só para mostrar indignação? Eu partilhava essa surpresa!). Não é meu objectivo, julgar a TSF pelo fórum que realizou mas, temos que assumir que o conjunto de elogios e opiniões positivas, favoráveis a José Sócrates, não correspondem às dúvidas e confusões que existem na mente dos portugueses e, na minha opinião, deviam ter sido esclarecidas. Certamente que a maioria das pessoas tinha esse objectivo enquanto ouviam a emissão.

Agora surge a questão, o que pode a TSF fazer?

A TSF é uma Marca credível e, como já mencionei, é seguida por milhares de pessoas, é a companhia de milhares de pessoas e, representa pessoas (seus profissionais que estão a ser postos em causa). De imediato a TSF tem que reunir a sua equipa (ou outra qualquer!) e agir. Entretanto o director da TSF, Paulo Baldaia, já enviou uma “nota” para prestar alguns esclarecimentos (é de felicitar a sua atitude!). Mais uma vez, dando a minha opinião, penso que deverão ir um pouco mais longe mas, começo por partilhar o seu "comunicado". "No Facebook da TSF houve esta manhã muitas críticas pelo facto da maioria dos ouvintes que entraram no Fórum terem sido favoráveis ao líder do PS. Importa esclarecer que no Fórum da TSF entram os ouvintes que se inscrevem. Nós não perguntamos de que partido são, nem que pergunta querem fazer. Limitamo-nos a pedir o nome, a localidade de onde são naturais e a profissão. Depois entram pela ordem de inscrição. Não há, portanto, qualquer tipo de controlo. Quando está cá algum líder político, o número de inscrições dispara e é por isso que muitosinscritos não conseguem participar. Se as máquinas partidárias se mobilizam, não há forma de o impedir. Ainda assim, a editora do Fórum procurou equilibrar, retirando da nossa página perguntas mais assertivas e mais incómodas para o líder do PS e quando alguns ouvintes se limitavam a fazer elogios a José Sócrates lembrou-lhes que deveriam colocar uma pergunta. O Fórum é um espaço de liberdade em que se dá voz aos ouvintes – não é uma entrevista realizada por jornalistas - e que, por se ter revelado um sucesso na TSF, foi imitado por outras rádios e televisões." Paulo Baldaia Director da TSF Há aqui uma questão muito importante - Se as máquinas partidárias se mobilizam, não há forma de o impedirde facto este indicador é importante e, todos nós sabemos que o PS sabe lidar com a comunicação social. Tem esta capacidade mobilizadora para conseguir atenuar qualquer impacto negativo (por vezes consegue!). A máquina PS neste aspecto é muito forte e trabalha bem.

Agora é que é, a minha sugestão...

A título de sugestão, para atenuar esta situação, a TSF pode organizar um programa para dar voz ao descontentamento, isto é, organizar algo que “abra” as portas à opinião destas pessoas. Não estou a dizer que deve criar um programa para “abater José Sócrates” porque ai, voltávamos à questão da imparcialidade mas, deve ser capaz de criar algo que mostre a sua isenção politica, que reforce  a sua credibilidade na partilha de informação (que já tem!) e salvaguarde o trabalho jornalístico (e seus profissionais!).

Diria mesmo que uma espécie de “prós e contras” podia ser interessante para abrir a discussão a ambas as partes. Agora vou ainda mais longe (sorry TSF!), e que tal haver alguém que faça uma análise profunda aos comentários que foram surgindo na rede, perceber quem critica construtivamente, quem tem opinião fundamentada e convidar essas pessoas para um debate

aberto na TSF?

Isto é o que eu chamo de envolver os clientes com as Marcas. A TSF estaria a incluir e envolver os seus ouvintes. Estaria a mostrar que mais importante do que o José Sócrates são os seus ouvintes e a sua confiança. Isto demonstra que nos preocupamos com a opinião das pessoas e que escutamos o que nos estão a dizer e, mais importante ainda, agimos em função disso. O essencial aqui, como sempre, é ser capaz de mostrar às pessoas que elas estão a ser ouvidas. Mais uma vez refiro que é importante analisarmos o tipo de pessoas e o tipo de comentários que surgem porque, quando é para “bater” aparece gente de todo o lado e muitos deles “sem qualquer interesse” (passo a expressão!) para a TSF.

A minha opinião sobre as criticas que fazemos na rede

Tendo em conta que não sou jornalista, passo a expressar a minha opinião (mais uma vez!). A TSF é uma rádio de referência, é uma excelente Marca e, como seu ouvinte, acho que devemos dar o beneficio da dúvida antes de entrar a "matar". Devemos ser críticos (muito!) e dar a nossa opinião mas, tal como acontece com as pessoas, devemos ser capazes de ouvir o que nos têm para dizer e, acima de tudo, tentar “defender” uma posição com argumentos e com opiniões construtivas. Entrar a “matar” não resolve nada e compromete Marcas que nos são muito úteis e nos fazem muita falta, independentemente de errarem.

Não nos podemos esquecer que uma Marca representa emprego. Que por trás de uma Marca estão pessoas Essas pessoas são seres humanos que, por sua vez, erram. Errar é humano (e ficar indignado com o erro também!).

A arte de transformar os nossos maiores críticos em parceiros é bastante gratificante e o retorno é brutal. Invistam nisso!

Paulo Morais

É atualmente responsável pela Follow Reference: Digital Health & E-business, onde tem desenvolvido grande parte do seu trabalho colaborando com Marcas de referência.

Mestre em Gestão de Marketing e pós-graduado em Direção de Marketing e Vendas pelo ISCTE.

Coordenador da Pós Graduação em Marketing Digital e Ebusiness da ANJE/UMINHOEXEC, docente na Pós-graduação em Marketing Digital e Comércio Eletrónico do ISVOUGA e Docente na Pós Graduação em Gestão de Marketing do IPAM.

Defende que só é possível acompanhar a dinâmica dos mercados se estivermos constantemente em “modo de partilha” razão pela qual criou o Marketing Portugal, um espaço de referência para partilha de conhecimento e debate de ideias sobre Marketing.

 

linkedin_logo_autor twitter_icon_autor icon_facebook_autor 

 

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.