AUTENTICAR

Já encontrou a sua vaca?

 

 

Um velho mestre decidiu ir ter com o seu discípulo visitar a aldeia mais pobre entre as aldeias mais pobres da região. Quando chegou, dirigiu-se ao casebre mais miserável de todos.

Assim, o mestre e o discípulo entraram numa casa de pouco mais de seis metros quadrados na qual vivia pobremente uma família composta pelo pai, pela mãe, quatro filhos e dois avós. Contudo, apesar da penúria, aquela família possuía um bem, extraordinário, tendo em conta aquelas circunstâncias: uma vaca faminta cujo escasso leite lhes servia de alimento, insuficiente, é certo, mas o único que tinham.

 

O pai, pobre mas hospitaleiro, convidou o mestre e o discípulo para passarem a noite com eles. No dia seguinte, muito cedo, assegurando-se de que não acordava ninguém, o mestre disse em voz baixa ao discípulo:

- Chegou a hora da lição.

O mestre, sob o olhar atónito do discípulo, sacou de uma adaga e degolou a pobre vaca.

- Que espécie de lição é que deixa uma família sem nada de nada? – queixou-se o jovem discípulo.

- Regressemos a casa – foi a única resposta do mestre.

Um ano mais tarde, o mestre e o discípulo voltaram à aldeia para saber o que tinha acontecido àquela família. Mas, no lugar onde antes estava o casebre miserável e sujo, erguia-se agora uma casa grande, limpa e bastante luxuosa.

Viram sair o pai. Estava bem vestido. Cheio de orgulho e com alguns quilos a mais. O homem, que não suspeitava de que o mestre e o discípulo tivessem sido os responsáveis pela morte da sua vaca, contou-lhes que, no dia em que tinham partido, algum invejoso tinha degolado selvaticamente o pobre animal.

- Aquela vaca era o nosso sustento. Toda a gente nos respeitava porque tínhamos algum leite. Quando vimos a vaca morta, percebemos que estávamos em verdadeiros apuros e que teríamos de reagir. E foi o que fizemos. Decidimos limpar o pátio que existe nas traseiras da casa, conseguimos algumas sementes e semeámos batatas e alguns legumes para comermos. Passado pouco tempo, percebemos que a nossa quinta produzia mais do que necessitávamos e começámos a vender. E, com os lucros, comprámos mais sementes, e assim tem sido até hoje. Acabo de comprar a casa em frente para plantar mais batatas e hortaliças e algumas…

Enquanto o orgulhoso pai continuava a falar sem parar, o discípulo deu-se conta de que aquela vaca tinha sido durante muito tempo não apenas o seu único bem, mas também a corrente que mantinha toda a família presa a uma vida de conformismo e de mediocridade

Gabriel García de Oro (2011) - StoryTelling – a magia das palavras de - Gestão plus
(Fábula inspirada na versão do Dr. Camilo Cruz)

A mensagem!

Mesmo que inconscientemente, temos sempre algo na nossa vida que nos serve de desculpa para não darmos o “próximo passo”. A maioria das pessoas tem a sua própria Vaca que as sustenta mas ao mesmo tempo as impede de crescer e evoluir.

“A vaca representa todo o pretexto, justificação, mentira, racionalização, medo ou falsa crença que nos mantém presos a uma vida de mediocridade e nos impede de atingir a qualidade de vida que realmente merecemos. Em geral, toda a vaca pertence a uma destas duas categorias: as desculpas e as atitudes limitadoras” (Camilo Cruz, 2008)

Temos que assumir o risco e sair da nossa zona de conforto. Temos que passar o abismo. Não conheço nenhuma Marca Pessoal de sucesso que a certa altura não tenha sido forçada a tomar decisões de risco.

Nem tudo é fácil, para chegar mais longe temos que atravessar caminhos nem sempre agradáveis mas, com persistência, foco e dedicação, tudo é possível.

Referências:

Gabriel García de Oro (2011) - StoryTelling – a magia das palavras, Gestão plus

Camilo Cruz (2008) - A Vaca – Como livrar-se do conformismo e das desculpas que o impedem de triunfar, Gestão plus

Marketing Pessoal: Passe o abismo para ser o melhor do mundo

 

Construir uma marca pessoal

Tenho estado atento aos números do desemprego e aos comentários que surgem de todas as direcções a contestar esta realidade.

É evidente que ninguém está satisfeito com estes indicadores, mas, também é importante procurar pensar um pouco “fora do quadrado” para que as coisas se possam resolver, ou pelo menos, ganhar algum rumo.

O tempo que as pessoas estão a dispensar para criticar “o sistema”, pode ser aproveitado em seu benefício para construírem a sua MARCA.

 

A importância de uma Marca Pessoal é cada vez mais evidente. É frequente vermos grandes nomes associados a grandes sucessos empresariais.

Mesmo para as empresas, a construção de marcas pessoais por parte dos seus colaboradores é essencial. As pessoas fazem as empresas e, certamente que uma Marca Pessoal forte atrai novos clientes.

Desde que existimos, mesmo que inconscientemente, vamos criando a nossa Marca Pessoal, junto da família, dos amigos, dos nossos colegas de trabalho ou dos nossos clientes. Na conjuntura actual, onde a abundância predomina e a concorrência é cada vez mais feroz, torna-se indispensável começarmos a reflectir sobre a nossa Marca, de uma maneira mais profissional e rigorosa. Diria mesmo que a nossa Marca Pessoal, nos dias de hoje, é um activo muito, mas muito valioso.

Não é interesse do presente artigo aprofundar os conceitos em torno da “MARCA”, mas, resumidamente, ao iniciarmos esta reflexão temos que ter presente que, apesar de querermos que o mercado nos veja de determinada forma, isso não significa que essa seja a forma como o mercado nos vê, como tal, temos que criar e transmitir sinais e mensagens que ajudem o mercado a percepcionar-nos conforme desejamos.

Por exemplo; Se eu quero que o mercado me veja como um especialista de desporto (posicionamento), posso criar um blogue pessoal com conteúdo especializado (sinais) para garantir que o mercado me identifica conforme pretendo (imagem).

O primeiro passo é claramente fazermos uma análise sobre nós (leia o artigo sobre Análise SWOT no Marketing Pessoal). A crise, o desemprego, ou mesmo o sucesso, não nos podem “cegar” e, independentemente da situação económica ou da situação profissional, temos que ter capacidade para nos conhecermos e sabermos como retirar proveito dos nossos pontos fortes.

Não sou apologista de que todos nós podemos seguir o mesmo caminho, por isso, é importante para mim que o leitor deste artigo reflicta sobre o que vou sugerir e crie a sua própria metodologia e reflexão.

Considero que, desempregados, ou não, estes passos podem ser interessantes, quer para o vossodesempenho profissional, quer, acima de tudo, para a vossa realização pessoal.

Os desempregados poderão encontrar desta forma uma fonte de rendimento, ou, uma forma devirem a ser recrutados.

Os que não estão desempregados, para além da realização pessoal, poderão ter a oportunidade de reforçarem a sua posição como especialistas de determinado assunto. Se o fizerem, directa ou indirectamente, estão a ajudar as vossas empresas. Cada vez mais as marcas “empresariais” são coerentes com fortes marcas pessoais, veja-se o caso da Google, do Facebook, da Apple, entre muitos outros.

Passos “standard” para começar a construir a sua marca pessoal

Encontrem a vossa especialização, aquilo em que realmente são bons.

Tenham em conta que essa especialização é aquilo que realmente gostaram de fazer. Seja o que for.

Definam como querem ser percepcionados pelo mercado (posicionamento). Sejam realistas e pensem de que forma querem que o vosso “público-alvo” vos veja.

Criem um nome para a vossa Marca Pessoal (é importante que este nome esteja, por exemplo, no titulo do vosso blogue). Este nome pode ser um pouco mais criativo do que apenas o vosso nome próprio, por exemplo, “o especialista em…” ; “não me canso de falar de …”; “quem fala assim sobre ___ não é gago”

Registem a vossa marca, comprem o domínio para o vosso site. É um investimento reduzido e importante.

Definam quem pretendem atingir com as vossas competências. Com quem querem partilhar a vossa especialização (convém ser um tema de interesse para o público definido)

Pensem em 52 temas (um por semana) sobre o qual podem escrever, gravar vídeos, etc. Sejam criativos.

Criem uma plataforma de comunicação (rapidamente podem criar um blogue para partilhar conteúdo)

Comecem a elaborar conteúdo

Comecem a partilhar o conteúdo que publicam

Criem um espaço para que a comunidade se possa interessar pelo vosso tema, por exemplo, uma página do Facebook.

Procurem onde se fala sobre o tema da vossa especialidade (blogues, redes sociais, fóruns, etc.). Utilizem o Google pesquisem nas redes sociais por palavras-chave. Comentem e partilhem o vosso ponto de vista.

Sejam pró-activos (lancem temas de conversa e preparem muito bem as respostas)

Sejam autênticos e transparentes (não digam o que toda a gente está farta de ler ou ouvir, sejam vocês mesmos e acrescentem valor)

Procurem estar em cima de tudo o que se diz sobre o assunto (pesquisa, mais pesquisa e mais pesquisa)

Lutem, diariamente, por partilhar conteúdo diferente e genuíno.

Relacionem-se com os vossos leitores e com os vossos pares (Networking)

Certifiquem-se que o vosso posicionamento (como querem ser vistos pelo mercado) corresponde à vossa imagem (como são vistos pelo mercado)

Façam ajustes sempre que necessário, mas não percam a vossa identidade.

Estes 19 passos não são fórmulas mágicas nem são garantias de sucesso. Cada um de nós éúnico e cada um de nós tem a sua maneira de ser e de estar, como tal, cada um de nós deve ser capaz de criar a nossa marca em função dos nossos objectivos.

A ideia base das sugestões apresentadas é muito simples. É fazer com que se transmita competência em determinada área. É fazer com que a nossa rede saiba quem somos e o que sabemos, é fazer com que estejamos a partilhar algo sobre o qual gostamos realmente de falar (vídeo) ou escrever.

Quando identificamos aquilo de que realmente gostamos, conseguimos passar uma mensagem muito mais válida e credível, estamos a ser nós mesmos e sabemos aquilo de que estamos a falar, seja futebol, Marketing ou ping – pong.

Se é algo que gostamos de fazer e partilhar, não nos vai custar ler e ouvir o que se diz sobre esse assunto, vamos estar a aprender, cada vez mais, sobre aquilo que gostamos de fazer.

Se aquilo em que nós realmente somos bons for um tema que realmente se goste de abordar,vamos criar conteúdo e mais conteúdo sem estarmos obcecados com o retorno, é como se fosse o nosso “diário”.

A Internet tem um número cada vez maior de utilizadores e, por mais particular ou individualizado que seja o vosso tema, haverá alguém disponível para ler o vosso conteúdo, não duvidem.

O “segredo” da construção de uma marca pessoal é evidente. Da mesma forma que falam e acreditam na contestação dos indicadores de desemprego, falem daquilo que realmente gostavam de fazer. Vejam que o tema até pode ser o desemprego, desde que isso seja um tema pelo qual desejam dedicar o vosso tempo e pelo qual queiram ser reconhecidos e diferenciados.

Por todo o mundo tem sido evidente o surgimento de marcas pessoais de sucesso que recorreram a plataformas digitais (youtube, facebook, twitter, linkedin, blogues, videoblogues, etc.) para se darem a conhecer ao mundo.

Porque não há-de haver espaço para si e para o tema que gosta?

Dedique um pouco do seu tempo aquilo que realmente gosta, ou gostava de fazer e desfrute dos resultados.

Quando atrair um número considerável de seguidores, pessoas que leêm ou ouvem o seu conteúdo, estarão preparados para conversar/negociar com potenciais anunciantes que surgem com naturalidade.

Se for do vosso interesse e não causar nenhum impacto negativo na vossa Marca Pessoal, aproveitem as ofertas, caso contrário, continuem a desfrutar dos resultados indirectos que surgem do vosso trabalho (convites para conferencias, formações,puro prazer de partilhar e falar do que gostamos, etc.)

É importante referir que isto é um “jogo” de paciência, nem sempre temos a visibilidade que desejamos e raramente os resultados são imediatos, mas, com o tempo, “as coisas” começam a acontecer.

Numa altura em que existe tanta turbulência, não há nada mais seguro do que termos uma Marca Pessoal sólida e bem trabalhada.

É verdade que não nos podemos dar ao luxo de abandonar o que fazemos, nem nos podemos dar ao luxo de andar a publicar conteúdo sem retorno, por isso é que devem construir a vossa marca pessoal em torno de algo que realmente gostam em que o retorno imediato é a realização pessoal.

“Dediquem-se a transformar o vosso prazer em trabalho e o retorno será uma consequência natural.”

 

 

Como construir uma marca pessoal de forma criativa seguindo o exemplo do Cowboy nú!

Hoje em dia, dado o elevado grau de competição que existe a nível global, uma das melhores formas de conseguirmos promover a nossa marca pessoal passa por  encontrarmos factores e elementos que nos permitam diferenciar do resto das pessoas. É exactamente isto que Robert John Burck tem vindo a fazer há mais de uma década numa das praças mais conhecidas do mundo: Times Square, Nova Iorque. Burck, nascido a 23 de Dezembro de 1970 em Cincinnati, Ohio, tem vindo a ganhar reconhecimento mundial através da criação de uma personagem que se limita a usar um par de botas, um chapéu à cowboy, uns boxers brancos com um logótipo pintado a vermelho e azul onde se pode ler  “naked cowboy” e uma guitarra estrategicamente colocada para dar a ilusão de nudez.

Obviamente que a sua auto-confiança e dedicação são outros dos factores que tem também contribuído para que ele se tivesse tornado numa das atracções mais reconhecidas e fotografadas na cidade que nunca dorme. Ele conseguiu inclusivamente que a entidade responsável pelo Turismo em Nova York – The New York State tourism department – o considerasse, em 2008, como sendo a terceira principal atracção da cidade depois da Estátua da Liberdade e do Empire State Building. O “Naked Cowboy” foi ainda apontado “Embaixador de Nova York “, recebeu o título de Porta-voz do “The Times Square Survival Guide” e foi convidado para ser o “Grand Marshal” dacorrida em roupa interior “NYC’s Underwear” que faz parte da maratona de Nova Iorque. Para além disso, a sua página pessoal do Myspace estima que devem existir mais de 50 milhões de fotografias suas a circular a nível mundial, tornando-o assim numa das ou a pessoa mais fotografada do mundo. E o número continua a crescer a cada dia que passa.

 

Mas alcançar esse tipo de reconhecimento não foi uma tarefa fácil nem aconteceu de forma imediata. Levou muito tempo a ser implementado, e requereu muita determinação, paciência, criatividade, e persistência.

Pegando neste caso concreto aqui ficam algumas sugestões sobre como se pode diferenciar enquanto marca pessoal:

1. Defina objectivos concretos e claros:

Logo após ter terminado a universidade, onde obteve um bacharelato em ciência política pela Universidade de Cincinnati, Burck inspirado pelo livro “Unlimited Power: The New Science of Personal Achievement,” decidiu que estava na hora de começar a delinear as suas metas para alcançar fama e fortuna. Ele sabia que se queria tornar no “homem mais famoso que já viveu na face da terra” e “o mais rico… alguém que todos conhecessem.” Ainda hoje esse continua a ser o objectivo que ele tenta implementar diariamente .

2. Ouse experimentar algo novo e não desista:

Inicialmente Burck começou a pousar como modelo fotográfico para várias revistas, nomeadamente de musculação. Em Dezembro de 1997, depois de ter estado a tirar fotografias para a “Playgirl” na Califórnia,  decidiu passar o dia a cantar e a tocar guitarra na Venice Beach, em Los Angeles onde  ganhou pouco mais de um dólar.  Desanimado com esse facto, ele desabafou sobre a falta de atenção que as outras pessoas lhe deram junto do seu amigo fotógrafo Charles Worthington que, em género de brincadeira, lhe sugeriu que tentasse algo diferente, estilo: cantar nu. Ele levou essa sugestão a sério e uma vez que já tinha trabalhado como stripper durante a universidade, no dia seguinte – 25 de Dezembro de 1997, voltou a actuar na Venice Beach, mas dessa vez usou apenas um par de boxers e os seus acessórios de cowboy. Nesse dia mesmo conseguiu arrecadar mais de 100 dólares, para além de ter sido fotografado constantemente, filmado por uma equipa de televisão local e convidado a aparecer num outro programa.

Nesse instante, Burck pensou que esta ideia poderia funcionar e decidiu levar o seu show em digressão. Começou por Cincinnati, e em seguida partiu para Atlanta e Nashville, onde acabou por ser preso. Mesmo assim ele não desistiu. Seguiu depois para Nova Iorque e regressou à Califórnia. Desde então ele tem apostado em aperfeiçoar a forma como lida com a policia e com os órgãos de comunicação social para evitar ser novamente preso.

Para ele “não ter exposição é má exposição” mesmo quando essa exposição seja considerada indecente e faça com que já tenha sido preso mais de 40 vezes, desde 1998.

3. Encontre formas de se tornar visível e criar buzz  sobre a sua marca:

Para Burck o “Naked Cowboy” não é apenas uma pessoa, é também um produto, uma marca registada. É uma maneira muito eficaz para chamar a atenção e para fazer com que as pessoas reparem nele.

No inicio, Burck começou a assistir às filmagens dos principais programas matinais de televisão norte-americana com o objectivo de gerar um pouco de buzz sobre o “Naked Cowboy” e aproveitar a exposição que as próprias câmaras lhe davam.

 

 

 

 

Pouco a pouco a sua popularidade foi crescendo, e ele começou a intensificar e a diversificar as suas aparições quer na televisão(incluindo The Howard Stern Show, David Letterman, Jay Leno, The Apprentice, Sponge Bob, CNN, etc) quer em vídeos musicais (incluindo “

cujo anúncio foi para o ar durante o Super Bowl XLI (2007).

No dia 24 de Janeiro de 2009, ele apareceu no Tonight Tubridy show na rede de televisão da Irlanda RTÉ, onde cantou um tema seu acompanhado pelo Quarteto Camembert. Também fez parte de uma série de documentários produzidos pelaMediaStorm, num segmento intitulado “Brand One Man” e participou na segunda parte do documentário de Richard Dawkins intitulado “The Genius of Charles Darwin” que foi exibido pela primeira vez em Agosto de 2008 no Channel 4 no Reino Unido (43.33).  Mais recentemente fez ainda parte de um “reality show” – Naked Cowboy – produzido por Ron Israel que pode ser visualizado no youtube.

Em Julho de 2009, Burck anunciou a candidatura do “Naked Cowboy” para presidente da Câmara de Nova Iorque com a promessa de que poderia fazer mais com menos, o que lhe garantiu uma enorme cobertura e destaque por parte dos orgãos de comunicação, nomeadamente o New York TimesHuffington Post e Reuters. Mas a luta contra o actual presidente Bloomberg durou apenas dois meses pois o Naked Cowboy acabou por se retirar dessa mesma corrida.

Paralelamente, Burck tem vindo ainda a tentar ser seleccionado para participar em programas como o American Idol (USA), o Australian Idol e Star Search, sem nunca ter sido sucedido. Contudo, costuma ser convidado para inúmeros eventos em que participam outras estrelas reconhecidas como é o caso do Kid Rock e Pamela Anderson e o seu nome continua a aparecer mencionado noutras importantes publicações tais como The Economist,Businessweek , The Washington Post , New YorkerPeople MagazineNew York Magazine, e outras.

Uma lista detalhada de todas as suas participações está disponível no website IMDB e na sua pagina oficial.

4. Seja criativo e inove:

Hoje em dia, ele possui uma marca registada para o seu personagem “Naked Cowboy”, e através da sua empresa Naked Cowboy Enterprises já colocou os seus CDs disponíveis para download no iTunes . Para além disto, Burck está sempre a procurar formas interessantes para conseguir extender a percepção e a exposição da sua imagem mediante a criação de um produto que não possa ser facilmente repetido e copiável.

Exemplo disso é o facto de ter começado a associar a sua personagem com alguns  produtos. Actualmente ele já possui cerca de dez contratos de licenciamento da sua imagem com várias empresas, nomeadamente com oCentro de Visitantes de Times SquareVodafone e com a  Blue Island Shellfish Farms através das Ostras Naked Cowboy’s Naked.

Uma outra das suas iniciativas passa por se prontificar a oficializar casamentos de pessoas em plena Times Square, mediante o pagamento de $499, depois de em Dezembro de 2008 ter conseguido obter a licença necessária junto da Cidade de Nova Iorque para tal.

Ao mesmo tempo ele decidiu começar a oferecer um serviço de franchising onde todos os interessados tem que se submeter a um processo de selecção, e são obrigados a pagar cerca de 5.000 dólares anuais para poderem ficar autorizados a funcionar como um “Naked Cowboy” ou uma “Naked Cowgirl”. E obviamente que já existem aderentes, como é o caso de Louisa Holmlund.

5. Monitorize e actue:

 

Burck reconhece bem a necessidade de se monitorizar e de se ser cuidadoso com a sua marca … em especial com as imitações. Não é por acaso que em Fevereiro de 2008 ele avançou com um processo legal contra a empresa multinacional Mars, Inc. por violação da sua marca exigindo 100 milhões de dólares em danos punitivos e honorários de advogados. Segundo Burck, a Mars decidiu criar e colocar um anúncio num ecrã gigante localizado o exterior da sua loja da M & M’s em plena Times Square, onde um M & M’s azul aparecia a tocar guitarra em cuecas e com um chapéu e botas de cowboy brancas. Para ele esse M& M estaria a usar as semelhanças com a sua marca registada do “Naked Cowboy” para fins comerciais e criava a falsa ideia de que ele apoiava os M & Ms, sem que a Mars tivesse obtido qualquer autorização escrita para tal. Depois de alguma disputa nos tribunais, em Novembro de 2008, Burck e Mars, Inc. chegaram a um acordo confidencial e o processo foi arquivado.

Mais recentemente, em Junho de 2010, Burk decidiu processar a comediante Sandy Kane, mais conhecida por “Naked cowgirl Granny”, por violação da sua marca registada pois, aparentemente, ela começou a vestir um biquíni e a usar um chapéu de cowboy semelhantes ao dele. Já algum tempo atrás, Burck já lhe havia enviado uma carta a solicitar que ela desistisse de usar, de forma não autorizada, a marca registada da Naked Cowgirl.

6. Continue a seguir a sua paixão e a ser autêntico:

Burck não está preocupado quanto ao futuro pois acredita que, independentemente do que acontecer, já se tornou “o mundialmente famoso Naked Cowboy” e que vai ficar na história de Nova Iorque bastando para tal continuar a mostrar a sua personagem e a  interagir diariamente com todos aqueles que o vêem.

Obviamente que, com este exemplo, não se pretende sugerir que se adopte o mesmo estilo de vestuário para ganhar destaque e reconhecimento a nível da sua marca pessoal. O objectivo passa sim por tentar demonstrar que ainda existem formas originais que nos  permitem diferenciar e que podem ajudar a lucrar com isso, quer seja em termos monetários quer seja em termos de visibilidade, notoriedade, etc.

Mas se ainda não está totalmente convencido talvez goste de saber que, pelo simples facto de estar a tocar a sua guitarra e de autorizar que lhe tirem fotografias na Times Square, o “Naked Cowboy” consegue arrecadar cerca de 1000 dólares diários, excluindo todas as outras fontes de receitas alternativas. Nada mau para quem encontrou uma forma de se diferenciar e fazer o que se gosta, certo?

Assim, da próxima vez que vier a Nova Iorque não deixe de tentar avistar o “Naked Cowboy” e parar durante 5 minutos para ver o impacto que ele tem nas pessoas … quer esteja chuva, neve, vento ou haja uma ameaça terrorista.

 

Artigo escrito por: Miguel Carvalho

 

Análise SWOT para o Marketing Pessoal (Online)

Num outro artigo para o Marketing Portugal, escrevi sobre o plano de presença online. A análise referida neste artigo (S.W.O.T.), pode ser enquadrada no processo de planeamento (adaptando-o ao Marketing Pessoal) à medida que vamos efectuando o diagnostico de situação (ponto 1), mas, comecemos pelo inicio.

Para os profissionais de Marketing e de Gestão, a análise S.W.O.T não é novidade e a ideia deste pequeno artigo não é explicar a sua aplicação no mundo empresarial, mas sim, no nosso Marketing Pessoal, no âmbito online (embora, em termos de metodologia, se consigam retirar diversas ilações para o mundo “offline” e para o universo empresarial).

 

No âmbito do Marketing Pessoal, a análise SWOT não tem uma aplicabilidade muito diferente do mundo empresarial, porque, a sua missão baseia-se em objectivos idênticos;

  • Efectuar uma análise interna (pessoal) e externa (ambiente);
  • Identificar “factores críticos de sucesso” e definir prioridades;
  • Preparar acções e prever obstáculos;
  • Aproveitar oportunidades e tentar garantir o sucesso.

A SWOT permite-nos fazer uma analise de ambiente a 2 níveis;

  • Interno – Pontos Fortes (S) e os Pontos fracos (W)
  • Externo – Oportunidades (O) e as Ameaças (T)

Para que a análise seja enquadrada na “cultura web 2.0″,  devemos ter em conta uma premissa essencial –  temos que ter uma predisposição natural para partilhar e acrescentar valor à nossa rede sem, forçosamente, querer algo em troca. Quanto maior for esta predisposição, maior é a probabilidade de sucesso. O retorno e os resultados devem acontecer com naturalidade.

No âmbito do Marketing Pessoal Online, sem acreditar em fórmulas milagrosas para atingir o sucesso, devemos dar maior destaque aos nossos pontos fortes para aproveitar as oportunidades e enfrentar as ameaças, porém, devemos ter um trabalho “offline”, consciente, que nos permita aperfeiçoar e melhorar os nossos pontos fracos, tornando-nos cada vez melhores.

Fases da análise S.W.O.T.

1º Fazemos análise aos nossos pontos fortes (S)

  • Quais as nossas competências?
  • Quais as nossas mais-valias?
  • Que tenho para dar aos outros?
  • No que sou diferente?
  • No que é que me destaco?

2º Fazemos uma análise dos nossos pontos fracos (W)

  • Que aspectos pessoais e profissionais tenho que melhorar?
  • Que erros tenho cometido e como melhorar?
  • O que posso fazer e não tenho feito?
  • Quais as minhas características de personalidade/comportamento mais prejudiciais ao meu desempenho?

3º Analisamos as oportunidades da envolvente (O)

  • Quais as tendências?
  • Que “mercados” ainda posso explorar?
  • Como pensam as pessoas sobre determinado tema?
  • Como esta a evoluir a sociedade, dentro da minha área?

(será interessante complementar com alguns estudos e dados estatísticos, para além da nossa percepção)

4º Analisamos as ameaças da envolvente (T)

Fazemos o exercício igual ao ponto 3, mas com foco nas ameaças.

  • Qual a concorrência que temos? (quantidade e qualidade)
  • Como está o ambiente/mercado ao nível da saturação na minha área?
  • Quais os cenários que podem afectar o meu desempenho?
  • Quais os indicadores que podem interferir no meu sucesso? (sejam indicadores macro-ambientais, indicadores online, indicadores das próprias redes sociais, etc.)

À medida que vão surgindo respostas, vamos colocando nos quadrantes da S.W.O.T.

É frequente que existam demasiadas respostas para cada quadrante da S.W.O.T. Se for o caso, pode ser muito útil criar uma tabela de prioridades que nos permite atribuir um valor a cada resposta, sendo, por exemplo, 1 – pouco importante e 3 – muito importante.

No exemplo utilizei 2 respostas (exemplos) por área, mas, se tivéssemos centenas de respostas, o procedimento seria o mesmo.

Apesar de se destacarem (definindo como prioritárias) algumas das respostas encontradas, não devemos ignorar por completo as outras, porque, por exemplo, podemos ter uma ameaça com 1 de impacto na reputação online, mas com uma tendência de 3, que dará um valor total de 4, ou seja, aparentemente não é uma resposta prioritária, porém, é uma ameaça que deve ser bem analisada tendo em conta a sua tendência. Quanto mais variáveis incluirmos e quantos mais níveis de prioridade definirmos, mais rigorosa é a nossa análise.

É igualmente importante perceber que o “mundo online” é muito dinâmico, como tal, é aconselhável que a análise SWOT seja flexível e actualizada com alguma frequência, dependendo dos nossos objectivos e necessidades.

Neste caso, coloquei o Impacto na reputaçãoa Tendência e a Probabilidade de ocorrência como as variáveis a analisar, mas, estas variáveis podem (e devem) ser adaptadas em função das necessidades da análise, ou seja, antes de qualquer passo para a análise devemos saber responder à questão – “Para que quero fazer esta análise?” . As respostas podem ser as mais variadas, como por exemplo;

  • Procuro emprego
  • Quero evoluir profissionalmente
  • Quero aumentar a minha rede de contactos
  • Quero conseguir ser influente na minha rede
  • Quero aumentar a minha visibilidade pessoal

Assinalei a verde o que nos é favorável (Pontos fortes e Oportunidades) e a vermelho o que nos é desfavorável (Pontos Fracos e Ameaças)

Analisando a tabela de prioridades, podemos concluir que me devo focar, essencialmente;

  1. No facto de ser dinâmico (ponto forte)
  2. No facto de ser Social (ponto forte)
  3. No facto de ser Teimoso (ponto fraco)
  4. No facto do recrutamento online estar em crescimento (oportunidade)
  5. No facto de existirem cada vez mais utilizadores (ameaça)

Resumindo – Devemos com esta análise, ser capazes de utilizar os nossos pontos fortes para combater as ameaças e tirar proveito das oportunidades, ou seja, no exemplo utilizado, devo tirar proveito das minhas competências como social e dinâmico para tirar proveito do recrutamento online estar em crescimento, tendo em conta que um dos meus objectivos é a busca de um novo emprego. Devo ainda aproveitar esses meus pontos fortes para me diferenciar do facto de existirem cada vez mais utilizadores. Por outro lado, devo trabalhar o meu ponto fraco (ser teimoso), para que se transforme, eventualmente, num ponto forte.

Interessa fazer com que a minha rede percepcione as minhas qualidades e competências. Quanto mais foco dermos a estas características, maior é a nossa probabilidade de sucesso.

Por outro lado, não nos devemos tornar “obcecados” para esconder os nossos pontos fracos. Todos os temos e o primeiro passo é ter humildade para os reconhecer.

Não vale a pena fazer análises e planear se não for para agir, por isso, faça a sua análise e potencialize os seus resultadospartilhando-os com a sua rede.

Não vá para a a sua rede dizer que é “isto ou aquilo”, que” faz e que acontece”. Arranje uma estratégia, inteligente, para que a sua rede percepcione os seus pontos fortes sem ter que os dizer, directamente.

Votos de sucesso!

 

A marca Fernando Nobre (impacto negativo na rede)

 

 

Este artigo pretende analisar, numa perspectiva de Marketing Pessoal, a decisão do Dr. Fernando Nobre, relativamente à decisão de aceitar ser candidato do PSD à presidência da Assembleia da República. Vou tentar não entrar em análises políticas e focar as minhas atenções no que me interessa, no Marketing Pessoal e no impacto de uma decisão destas junto dos seus fiéis apoiantes. Procurei também criar uma pequena checklist com algumas dicas para gerir a reputação negativa que se está a propagar na rede.

Para contextualizar esta medida e o impacto que está a ter, importa relembrar duas questões essenciais:

12 dicas para quem procura emprego

business-school

Trabalhe a sua imagem online, o seu Marketing Pessoal, transmita conteúdos e partilhe informação que faça com que a sua rede o(a) percepcione exactamente como deseja.

Você tem que ser o melhor vendedor da sua imagem, da marca “eu” e melhor que ninguém saberá o que quer e o que procura. Transmita isso à sua rede, puxe pelas suas competências, ofereça valor acrescentado aos seus contactos, procure diferenciar-se e arranjar algo que o identifique no meio de tantos contactos.

Não se desvirtue dos objectivos, seja você mesmo!

1º Seja você mesmo, não queira “voar alto”. Seja realista e mantenha uma postura nas redes sociais igual ao que representa fisicamente. Não crie falsas expectativas.

2º Olhe para todos os contactos como uma oportunidade. Oportunidade de aprender, de partilhar, de interagir e quem sabe..de arranjar um emprego.

3º Não se mostre desesperado(a) na procura de emprego. Tenha calma, a “excitação” e o “desespero” podem condicionar o seu sucesso e a eficácia na procura.

4º Está desempregado(a), não está morto, por isso seja pro-activo(a) e mostre o que tem na cabeça. Participe em discussões dentro da sua área de interesse.

5º Não seja conflituoso(a). Seja educado(a) e saiba ouvir opiniões contrárias. Evite tocar em assuntos delicados e polémicos (sexo, futebol, religião, etc.)

6º Apareça nos eventos “off line” promovidos pelos grupos do seu interesse. Certamente fará bons contactos.

7º Saiba ouvir. Nas redes sociais há gente muito competente, com muita experiência, que em comentários simples nos dão dicas essenciais para evoluir.

8º Procure uma oportunidade para ter o seu próprio negócio. Puxe pelo seu espírito empreendedor. Esteja atento(a) a tudo o que o(a) rodeia, às pessoas, aos comentários, aos sites, etc. Quem sabe se num destes dias não sente o “clique” para avançar com algo próprio.

9º Se não tem nada de valor para acrescentar a uma discussão, esteja calado(a)! O silêncio é mais relevante que um comentário despropositado e fora do contexto

10º Acredite e trabalhe a sua “marca pessoal”, seja optimista e mantenha essa postura optimista nas redes

11º Não partilhe conteúdo que o(a) possa vir a prejudicar numa fase de recrutamento, tudo fica “armazenado” na WEB. Partilhe conteúdo e informação que o(a) credibilizem

12º Se procura emprego numa área específica, concentre-se nessa área. Por exemplo, se anda à procura de emprego em Marketing, não perca muito tempo a falar de Arte, ou de desporto (a menos que isso lhe traga alguma satisfação pessoal). O importante é que quando se pesquisa sobre  si, apareça logo conteúdo dentro da área de trabalho.

Recomendo a leitura do artigo – Planeie a sua presença online

 

10 sugestões que poderão levá-lo a aumentar a sua criatividade

Quantas vezes já pensamos que ser criativo é algo exclusivo de um certo grupo de pessoas composto pelas pessoas x ou y e, por mais que queiramos, nunca conseguiremos ser tão criativos como estes ou aumentar consideravelmente o nosso nível de criatividade.

Quantas vezes olhamos para anúncios de emprego onde as palavras: “procura-se criativo/criatividade” aparecem em destaque como se de um fator eliminatório se tratasse e acabamos por não nos candidatarmos a essa mesma vaga.

Quantas vezes já nos perguntaram em algum período da nossa vida pessoal e/ou profissional se somos ou não criativos e subitamente congelámos com a pergunta porque não sabemos se a nossa resposta poderá (ou não) influenciar o processo de recrutamento e seleção.

Ao contrário do que muitos pensam, a criatividade não é exclusiva de um determinado grupo de pessoas. Se existe predisposição para ser criativo ou não, não é isso que pretendo abordar. Tal como em muitos outros casos, qualquer pessoa poderá estimular e treinar a sua capacidade de ser criativo.

10 sugestões que poderão ajudá-lo a aumentar a sua criatividade:

  1. Um erro frequente é aguardar por ideias fechado numa sala. Ausente-se por momentos do seu local de trabalho. Um simples passeio pela rua poderá ter mais resultados do que aguardar pelas ideias sentados atrás de uma secretária.

  2. Tenha uma atitude open-mind e quebre a sua rotina. Ter uma rotina pode ser positivo em certas situações mas quando toca à criatividade é um obstáculo. Experimente coisas que normalmente não faz, nem nunca pensou fazer. Por exemplo, prove comidas que nunca provou. Veja géneros de filmes que nunca viu. Oiça outros tipos géneros musicais.

  3. Visite exposições. Vá ao cinema ou ao teatro. Leia os mais diversos géneros literários. Viaje. Apostar em cultura é, e será sempre, um ponto a favor para estimular a criatividade de qualquer um.

  4. É inegável que um grupo de pessoas pensa melhor que apenas uma delas. Promova brainstormings que proporcionem um ambiente criativo. Exponha as suas ideias e peça opiniões sobre as mesmas. Esteja recetivo a críticas e a opiniões.

  5. Seja um bom observador e esteja sempre atento em qualquer ocasião. Uma pessoa desatenta pode deixar passar uma ocasião que poderá ser utilizada mais tarde. Algo que poderá ter visto ou feito anteriormente poderá inspirá-lo para ser usado posteriormente.

  6.  As boas ideias não têm hora nem local para aparecer. Muitas vezes surgem-nos pensamentos e ideias importantes. Traga consigo um bloco de notas, seja ele em papel ou em formato digital. Hoje em dia existem diversas apps que substituem o bloco de notas tradicional (ex: evernote).

  7. Uma das melhores formas de estimular a criatividade é conviver com pessoas que consideramos criativas. Na minha opinião, conviver com crianças, será uma das melhores formas de a estimular. Conhece alguém tão criativo para inventar histórias a partir de simples objetos como uma criança? Eu não.

  8. Uma das chaves importantes para o sucesso é manter uma atitude positiva. Manter uma atitude positiva certamente trará melhor retorno que uma atitude negativa. Adotar este tipo de atitude ajudar-lhe-á a enfrentar obstáculos e os desafios no seu processo criativo.

  9. Estimule o seu cérebro. O cérebro é como um músculo. Estimule-o com exercícios e estes mesmos exercícios aumentarão a sua capacidade de ser criativo. Escrever. Resolver problemas e enigmas bem como alguns jogos são ótimos alimentos para o cérebro.

  10. Por último e talvez a mais importante: Pergunte-se sempre a si mesmo “porquê?”. Porque é que escrevi isto? Porque é que decidi fazer isto em vez daquilo? Porque é que a empresa x decidiu adotar determinada estratégia? Estas e outras perguntas ajudá-lo-ão em qualquer processo criativo. Ao perguntar-se a si mesmo sobre certas questões obrigatoriamente darão novas respostas e essa resposta poderá ser a que tanto andava à procura.
 

10 dicas para uma gestão eficaz e proactiva da sua reputação online

Até muito recentemente só as pessoas com posses ou que tinham acesso a contactos influentes ou alguma dose de sorte é que podiam tirar partido de agentes e outros mecanismos que os ajudavam a trabalhar e a promover a sua imagem pessoal. A própria televisão e imprensa escrita, enquanto meios de comunicação relevantes, eram consideradas duas das ferramentas mais poderosas, capazes de influenciar e até manipular percepções através dos seus conteúdos.

Mas com a recente democratização da comunicação, associada ao desenvolvimento da internet e ao aparecimento de um cada vez maior número de ferramentas e aplicações online, a forma como as empresas e as pessoas interagem, colaboram, comunicam, brincam, trabalham, compram/vendem os seus produtos ou serviços e partilham informação alterou-se profundamente.

Hoje em dia, qualquer pessoa, desde que possua acesso à internet e esteja disposta a colocar um pouco de tempo, proactividade e paixão a aprender como essas ferramentas funcionam, passou a poder ganhar uma voz activa. Uma voz através da qual poderá criar, partilhar, distribuir e divulgar as suas ideias, preferências, opiniões, sucessos, experiências, conhecimentos, sugestões e aumentar a sua visibilidade perante o mundo exterior. Ao mesmo tempo passou-se a ter à nossa disposição formas alternativas para promovermos quem realmente somos e “influenciar” a forma como desejamos que os outros nos percepcionem enquanto indivíduos e ou profissionais.

Para além disso tornou-se mais fácil estabelecer relações informais e dialogos únicos com pessoas que podemos ou não conhecer, e que antigamente estavam reservados e envoltos num secretismo de contactos e jogos de influência.

Assim  sendo, e devido ao mundo ultra competitivo em que actualmente vivemos, torna-se cada vez mais importante que cada um de nós tente achar e utilizar vias criativas para criar buzz sobre a nossa própria pessoa. Encontrar formas que nos ajudem a diferenciar e sobressair no meio da multidão e da concorrência, comunicando aqueles factores, qualidades, características que nos tornam únicos e valiosos. Obviamente que parte dessa solução passa por uma gestão, monitorização e manutenção eficaz da nossa própria reputação online enquanto marca pessoal.

 

Ao mesmo tempo, convêm estar atento e ir averiguando se a informação que existe online e o que os outros andam a falar sobre nós é correcta e representa de forma clara, positiva e relevante quem realmente somos. Especialmente quando hoje em dia, existe uma maior probabilidade de alguém vir a utilizar o Google para tentar descobrir coisas sobre nós. Quer sejam ex-colegas, empresas de recrutamento, amigos, familiares, ex-namorados, professores, consultores, e outros que nem nos próprios sabemos quem são.

Embora continue a ser praticamente impossível conseguir controlar totalmente o que os outros dizem sobre nós, podemos tentar ficar melhor preparados para reagir, minimizar e eventualmente prevenir os efeitos e demais confusões que daí podem advir pois não existe nada pior do que haver informação incorrecta, embaraçosa ou negativa que esteja associada com o nosso nome. Especialmente numa altura em que as reputações podem ser criadas e destruídas online em menos de segundos e à velocidade de 140 caracteres.

Por tudo isto, gostaria de perguntar se por acaso já alguma fez um Google ao seu nome entre aspas nowww.google.com ? Se sim, gostou do que descobriu? Se não, de que está à espera para descobrir?

Faça esse exercicio e depois continue a ler as 10 dicas práticas que são apresentadas de seguida que o ajudarão a gerir a sua reputação online. Ao contrário do que muita gente pensa, não basta criar perfis no Linkedin, Facebook and Twitter para se dizer que se tem uma representação online relevante. É preciso ir um pouco mais além e complementar isso com outros tipos de acções continuas que sejam bem estruturadas e planeadas.

1. Registe a sua marca: Por menos de 10 euros/ano é possível através de serviços como www.godaddy.com;www.domainsinseconds.comwww.joker.comwww.registera.comwww.iwantmyname.comwww.pairnic.com;www.register.com, etc. reservar e registar o seu nome como um domino online, de preferência terminado em .com ou .net (ou .co, .tv) pois são os mais respeitados pelos motores de pesquisa. Caso o seu nome seja bastante comum e já não se encontre disponível equacione usar a inicial do seu segundo nome ou uma versão mais curta ou alterada do seu nome ou até mesmo uma palavra inventada que possa associar com a sua marca propria. Equacione ainda comprar “hosting” (hospedagem) que lhe permita criar um website onde pode colocar a suas credenciais e liste o seu website ou blog em websites, motores de pesquisa e directorios pertinentes tais como ohttp://technorati.com/http://www.blogcatalog.com/ e http://www.mybloglog.com/

2. Construa a sua “montra” – crie um website ou um blog dedicado que ligue o seu nome ao domínio que registou, utilizando  http://wordpress.com , http://www.blogger.com , http://www.typepad.com/ , http://buddypress.org/ , www.livejournal.comhttp://www.tumblr.com, etc. O objectivo é poder dispor de um local onde possa escrever e partilhar não apenas as suas ideias, comentários, histórias, experiências,  sabedoria e conhecimento sobre determinado assunto, mas também aumentar a sua credibilidade, notoriedade e autoridade nos motores de pesquisa caso os seus artigos e comentários comecem a ser partilhados por outras pessoas noutras redes sociais e assim obter “back links” (links que apontam e ligam directamente para o seu website). Tenha a certeza de que inclui o seu nome na descrição e no título do blog, assim como “tags” relevantes nos títulos dos seus artigos e lembre-se que as “idéias não valem nada até que outras pessoas saibam sobre elas” – Bo Fishback


3. Torne-se membro: crie e reivindique o seu nome, preenchendo de forma completa e honesta o seu perfil nas várias redes sociais que possuem elevada indexação no Google a fim de se tornar presente e visível nas mesmas, mesmo que não venha a ser um membro muito activo.

Comece por analisar este link http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_social_networking_websites para se familiarizar com as inúmeras ferramentas e redes sociais que estão disponíveis na internet e às quais pode aderir. É conveniente dedicar algum tempo a investigar quais são as redes mais relevantes no pais, sector, mercado em que se pretende destacar. Por exemplo no Brazil o Orkut e Orca são as mais importantes mas nos Estados Unidos prevalece o Facebook, Myspace e twitter, e em Portugal o Hi5.

Depois aceda ao KnowEm.com – http://knowem.com – para ficar a saber em que canais sociais (presentemente existem mais de 350) é que o seu nome se encontra ainda disponível e poder, ao mesmo tempo, reinvindicar, reservar e proteger a sua própria identidade, marca ou nome.

Facebook – http://www.facebook.com/username/ e fanpage – é uma rede social que conta já com mais de 500 milhões de membros a nível mundia e onde é possível utilizar uma multiplicidade de aplicações que ficam associadas ao seu perfil pessoal. Permite ainda ir criando a nossa própria comunidade e rede de contactos à medida que se vai adicionando pessoas como amigos, enviando mensagens, e comunicando detalhes sobre nos mesmo e as nossas preferências.

Twitter – http://twitter.com/ – é uma rede social que oferece serviço de microblogging onde é permitido aos seus utilizadores enviar, partilhar e ler mensagens conhecidas como “tweets” que possuam no máximo 140 caracteres para além se poder colocar e responder a questões ou a outros quaisquer comentários.

Linkedin – http://www.linkedin.com – é uma rede social de negócios, que é utilizada mais para contactos e networking a nível profissional e para angariar novos clientes.

Flickr – http://www.flickr.com – permite a inserção e partilha de fotografias e vídeos pessoais ou outras imagens que se pretenda inserir em blogs e noutras redes sociais.

Google – http://www.google.com/profiles - serviço gratuito para tornar disponível o respectivo perfil pessoal nos motores de pesquisa do Google. Convem preencher completamente esse perfil pois desta forma poder-se-a controlar melhor o que venha a aparecer relacionado com o seu próprio nome no Google.

Digg – http://digg.com – website social de notícias onde se pode descobrir e compartilhar conteúdo de qualquer lugar na Internet, mediante o envio de links e notícias, e ao mesmo tempo ofereca a opcao de se poder votar e comentar sobre os mesmos.

Hi5 – http://www.hi5.com – é uma rede social onde eh possível encontrar, interagir, ficar em contacto com os amigos e divertir-se a jogar com eles.

Myspace – http://www.myspace.com – é uma rede social que se tornou bastante popular nos Estados Unidos em Junho de 2006 onde se pode encontrar amigos/colegas, conhecer novas pessoas, ouvir e criar listas de música de forma gratuita, compartilhar fotos, ver videos, etc.

Naymz -  http://www.naymz.com – é uma plataforma de rede social profissional, que permite que os seus utilizadores se possam relacionar com outros profissionais pertencentes a essa mesma rede.

StumbleUpon – http://www.stumbleupon.com – é uma comunidade online que permite aos seus membros descobrirem, classificar e recomendar de forma personalizada páginas Web, fotografias e vídeos.

Friendfeed – http://www.friendfeed.com – é um agregador de “feeds” em tempo real, que consolida as actualizações de noticias, redes sociais, blogs e micro-blogging, bem como qualquer outro tipo de feed RSS.

Ping.fm – http://ping.fm/ – é um serviço simples e gratuito que oferece serviço de micro-blogging e permite aos membros poderem colocar conteúdos em e actualizarem as suas várias redes sociais simultaneamente, num piscar de olhos.

Tube Mongul – http://www.tubemogul.com/ – é um serviço gratuito que oferece um único local para fazer uploads para qualquer um dos principais websites de compartilha de vídeo.

Youtube – http://www.youtube.com – é um serviço gratuito que permite armazenar, visualizar, comentar e partilhar vídeos online. Em alternativa existe outros como é o caso do http://www.vimeo.com

Ustream.tv – http://www.Ustream.tv – consiste numa rede de diversos canais que oferecem uma plataforma de vídeo e eventos online.

Skype -  http://www.skype.com – é um software que permite aos utilizadores fazerem chamadas de voz, incluindo videoconferência através da Internet, sendo as chamadas para outros utilizadores dentro do próprio serviço gratuitas, enquanto as chamadas para telefones fixos e telefones móveis podem ser feitas mediante pagamento de uma taxa de utilização.

Ebay – http://myworld.ebay.com/ – website de compras onde pessoas e empresas compram e vendem uma grande variedade de produtos e serviços a nível mundial através de um sistema de leilão.

Friendster –  http://www.friendster.com/ é um serviço de rede social que permite aos utilizadores entrarem em contato com outros membros, manter os contatos e compartilhar conteúdo, nomeadamente vídeos, fotos, mensagens e comentários.

Friendfeed – http://friendfeed.com/ – Permite criar uma fonte personalizada de conteúdos para partilhar com os seus amigos incluindo artigos, fotos, etc .

Ning – http://www.ning.com – é uma plataforma online que permite as pessoas criarem suas próprias redes sociais. É possivel experimentar gratuitamente o serviço durante 30 dias mas depois passa a cobrar no mínimo 2.95 USD por mês para redes pequenas.

Coloque pequenas biografias sobre si em websites como o http://www.wikipedia.org/ ; http://knol.google.com/k ehttp://www.squidoo.com/

E como a primeira impressão será sempre aquela que todas as outras pessoas vão ter de si, não se esqueça de:
- preencher de forma completa e cuidadosa, o seu perfil em cada rede social
- usar uma fotografia sua que mostre o profissional que é, e que seja consistente em todas as redes sociais … afinal uma imagem ainda continua a valer mais do que mil palavras.
- inclua os links e endereços das principais redes sociais em todos os contactos que fizer, nomeadamente na sua assinatura de email.

4. Participe – Não basta estar presente online através da criação de um mero perfil online. É preciso envolvermo-nos e participar em conversas em grupos, “fanpages” e fóruns de discussão mediante a colocação de comentários, respondendo a questões, divulgando e partilhando conteúdos interessantes, estabelecendo relações, e interagindo.

Todas estas formas de actuar tornaram-se necessárias e podem ajudar-nos a obter a atenção da nossa audiência alvo e fazer com que a mesma fique interessada em se relacionar connosco. Se tal acontecer, iremos conseguir aumentar de forma gradual a probabilidade de virmos a ser seguidos, de vermos as nossas opiniões e mensagens a serem difundidas online e de alargar a nossa rede de contactos (networking). Adira a “fanspages” no facebook ou a grupos no linkedin que estejam relacionados com os seus tópicos e interesses.

O segredo passa também por nos tornarmos excelentes contadores de histórias que sejam interessantes e capazes de inspirar, motivar, fascinar e captar a atenção, o coração, a mente, o interesse e o espírito das outras pessoas. Para alem disso, deve-se tentar oferecer algo grátis que traga algum valor acrescentado, utilizando títulos, abordagens, ângulos e assuntos relevantes, inovadores, ou controversos nos nossos próprios blogs ou junto de outros websites de referência.

Equacione ainda escrever livros e artigos de opinião para revistas, blogs, newsletters ou websites influentes sobre temas que sejam actuais e relevantes para a sua audiência. Depois divulge e ligue os mesmos através de links ao seu próprio website.

Tente também ser citado em artigos da especialidade e forneça serviços de consultadoria.

Prepare uma apresentação em PowerPoint e torne-a disponível em websites como por exemplowww.slideshare.com. Equacione usar essa mesma apresentação como base para eventuais participações que consiga assegurar em seminários, palestras, conferências, fóruns, programas de televisao e outro tipo de eventos e disponibilize-se a responder a questões e a falar sobre as sua opiniões e experiencias. De acordo com Gary Vaynerchuck,  “cada conversacao que inicia eh outra oportunidade para falar sobre o que o apaixona.”

5. Monitorize – Saiba ler (nas entrelinhas), ouvir, observar, e monitorizar o que anda a ser dito pelas outras pessoas sobre si, sobre a sua marca pessoal, e sobre os topicos que lhe são relevantes. É importante identificar quais os blogs, fóruns e personalidades que são mais importantes em determinado sector e que merecem ser seguidos pois podem servir de inspiração. Ao mesmo tempo, este facto pode ajudar a ficarmos mais bem informados sobre novas tendências e potenciais ameaças e prepara-nos para podermos reagir, inovar, ajustar, mudar e adaptar a novas realidades e situações, se necessário. Aqui estão algumas ferrramentas que podem facilitar esta monitorização:

- google alerts – http://www.google.com/alerts – permite criar alertas actualizados que são enviados por email sobre os últimos resultados relevantes do Google (web, notícias, etc), com base na sua escolha de consulta ou tópico, sem ser preciso ter uma conta activa no Google. É aconselhavel escolher alertas para o seu próprio nome, do seu website/blog,  dos seus “concorrentes” e dos tópicos que são relevantes para si.

- google reader – http://www.google.com/reader – serviço que permite agregar e aceder aos conteúdos dos seus websites favoritos num único local

- search.twitter.com – http://search.twitter.com/ -  permite ver o que está a acontecer agora, em tempo real sobre o tópico que quiser colocar na barra de pesquisa. Faca-o para o seu próprio “nome”.

- backtype.com – http://www.backtype.com/ – é uma plataforma de análise social que ajuda as empresas a compreenderem o seu impacto social, bastando inserir o respectivo website e ao mesmo tempo permite obter um alerta quando o nosso nome é mencionado em comentários feitos em blogs.

- socialmention.com – http://www.socialmention.com/ – é um mecanismo de pesquisa em tempo real que procura por todas as redes sociais os conteúdos gerados pelo utilizador em blogs, comentários, bookmarks, eventos, notícias, vídeos, etc.

- boardtracker.com – http://www.boardtracker.com/ -  permite obter notificações quando o nosso nome aparece mencionado em discussões feitas em fóruns e envia mensagens instantâneas de alertas sobre tópicos relevantes. Custo: 39 USD/mês sendo os primeiros 30 dias grátis.

- blogsearch.google.com – http://blogsearch.google.com/ – é a tecnologia de busca que ajuda o utilizador a explorar e pesquisar o universo dos blogs de forma mais eficaz a fim de descobrir o que se vai dizendo sobre qualquer assunto que lhe interessa.

- tweetback.up – http://tweetbackup.com – é uma ferramenta que permite fazer o backup gratuito da nossa conta de twitter. Recentemente começaram a oferecer uma subscrição mensal premium por 1 dólar/mês.

-  collecta.com – http://collecta.com/ – É um motor de busca em tempo real que inclui os resultados de blogs, micro blogs, feeds de notícias e serviços de partilha de fotografias sobre determinado tópico, nome ou website.

E se alguma vez precisar de fornecer ou analisar dados estatísticos sobre o seu ou sobre outro website e respectivas audiencias, equacione utilizar http://compete.com/;  http://www.alexa.com/;http://www.pagerank.net/pagerank-checkerhttp://www.quantcast.com/http://www.googlerankings.com

6. Seja autêntico: Actue online da mesma forma como se comporta no dia a dia e frente a frente com as outras pessoas. Nunca deixe de ser você próprio … actue com boas maneiras, respeito, profissionalismo, honestidade, cordialidade, consistência, coerência, dedicação, adaptabilidade, reciprocidade (retribuir), etc. Seja um líder, pois só quando se é autentico, se está disposto a ajudar e se demonstra que realmente nos preocupamos, respeitamos e temos interesse em saber mais sobre as opiniões, ideias, problemas, valores, sonhos, visão que as outras pessoas tem, é que se será capaz de cativar o interesse delas em quererem interagir connosco.

7. Seja cuidadoso: Utilize a regra de não colocar nada online que não queira que a sua mãe veja ou que se saiba sobre si. Lembre-se que o Google não esquece e consegue achar tudo o que possa existir online relacionado com seu nome, sendo praticamente impossível remover conteúdos menos próprios. Por isso, pense bem e tenha cuidado com as palavras e o tipo de comentários que quer fazer, antes de escrever algo de que se possa vir a arrepender no futuro. Tenha também atenção com quem se relaciona, tentanto disassociar-se de qualquer pessoa que possa afectar a sua imagem. Limpe spammers e websites menos próprios dos seus perfis e não tome posições nem partido de alguém durante discussões, a não ser que esteja preparado para defender sua posição hoje e no futuro. Por fim, reveja sempre muito bem as definições de privacidade em cada uma das redes sociais em que participa a fim de ficar mais em controlo do tipo de informação publica que tende a aparecer associada ao seu  perfil online. Ex: use a aplicação PrivacyDefender http://www.privacydefender.net/ para obter uma imagem gráfica do tipo de informação que está a partilhar online através da sua conta de Facebook.

8. Actue – siga a máxima de não deixar para amanhã o que pode e deve fazer hoje e não se esqueça que a forma como actuamos perante determinadas situações pode e continua a fazer uma grande diferença, especialmente se se trata de uma situação menos desejável. Por exemplo, quando se faz um comentário que nos possa comprometer ou que tenha sido mal interpretado, o melhor é actuar imediatamente para esclarecer a situação. Quem não se lembra dos recentes comentários do CEO da BP que criaram uma mini-crise para a empresa, já considerados um caso histórico em Relações Publicas? E se existirem conteúdos menos dignos pode sempre tentar o “rule of thumb” para tentar remover-los … leia este link que fornece dicas adicionais sobre como o fazerhttp://www.google.com/support/forum/p/Web+Search/thread?tid=70f6a8609a4486c8&hl=en. Uma outra alternativa passa por contactar directamente o autor do blog ou website e pedir para que a informação seja corrigida (exemplo: Correcção: entretanto ficámos a saber que xx não foi despedido mas despediu-se para assumir novas  funções como yy na empresa zz).

9. Planeie – Estabeleça, na sua agenda diária, um período de tempo para ler, participar, comentar e fazer todo um conjunto de outras iniciativas que ajudem com que os outros se lembrem de si, reforçando assim a sua imagem. Faça um planeamento adequado e temporal dos objectivos pretendidos e das formas de os alcançar, apostando em mensagens e conteúdos relevantes, consistentes e que sejam regularmente actualizados.. Mantenha também sempre o desejo de ir melhorando e evoluindo continuamente. Depois, quando alcançar o sucesso pretendido, não deixe que o mesmo o cegue e continue a empenhar-se em querer melhorar e experimentar coisas novas.

10. Não desista – Tenha paciência e seja persistente pois todo este processo requer empenho, dedicação, e leva tempo a implementar e a surtir os efeitos desejados. Esteja ainda preparado para repetir estas dicas as vezes que forem necessárias.
Mais tarde ou mais cedo, vai aperceber-se de que todo o seu esforço irá ser recompensado. Para tal, basta que se dedique a viver a sua paixão e fazer aquilo em que acredita. Mas não deixe que o tempo passe. Comece a gerir a sua reputação HOJE  mesmo, ouse em arriscar, em experimentar … e prepare-se pois brevemente pode vir a ser contactado(a) por quem menos espera.

Mais tarde ou mais cedo, vai aperceber-se de que todo o seu esforço irá ser recompensado. Para tal, basta que se dedique a viver a sua paixão e fazer aquilo em que acredita. Mas não deixe que o tempo passe. Comece a gerir a sua reputação HOJE  mesmo, ouse em arriscar, em experimentar … e prepare-se pois brevemente pode vir a ser contactado(a) por quem menos espera.

 

Artigo escrito por: Miguel Carvalho

 

Assinar este feed RSS