AUTENTICAR

Marketing Informal

Chamamos de Marketing Informal a todo o processo de troca de valor, sem obstáculos, directos ou indirectos, causados pela formalidade. O Ser Humano desde a pré-história que se relaciona e necessita de comunicar, eficazmente, com os seus pares, quer para se alimentar, para satisfazer necessidades primárias e até mesmo para sobreviver (por exemplo, os primitivos juntavam-se em grupos para ir à caça de alimento). Quanto menor for o grau de formalidade, maior é o grau de confiança e melhor é a relação entre os seres humanos. Todos nós temos mais confiança para transmitir os nossos sentimentos, emoções e desejos, com aquelas pessoas com quem temos melhor relação, menos formalidade.

Digamos que se estivermos vontade de chorar em frente a um director da empresa, possivelmente vamo-nos tentar controlar ao máximo, mas se estivermos essa mesma vontade em frente aos pais ou amigos mais próximos, possivelmente não teremos que controlar tanto essa necessidade, pois temos uma relação de confiança com eles e não existem obstáculos na nossa interacção. Vou dar um exemplo, contando uma história para explicar onde quero chegar; O Sr. Manuel trabalha numa loja de computadores. Tem um chefe muito exigente e “rezingão”, está sempre a querer que o Sr. Manuel atinja objectivos muito complicados. Nos dias de hoje, com a crise, o Sr. Manuel não se pode dar ao “luxo” de mostrar ao seu patrão que os objectivos não são muito realistas e tenta sempre lá chegar. Quando entra no trabalho, o Sr. Manuel dá um sorriso e cumprimenta o patrão. Durante o trabalho, diz umas piadas e mostra-se animado. No final do trabalho sai do trabalho com o mesmo sorriso. Quando chega a casa, está irritado e “manda vir” com tudo e todos.

A história do Sr. Manuel é a história de muitos profissionais que infelizmente têm barreiras para demonstrar o que se passa, tendo que vestir a pele de uma personagem satisfeita em prol do agrado de outro. Quando chega a casa, o Sr. Manuel, tal como muitos outros profissionais, fica irritado e expressa todo o seu desagrado, muitas vezes em cima da mulher, do filho ou de um amigo. A boa disposição exterior desaparece e a expressão facial agora representa o sentimento interno do Sr. Manuel. A informalidade prende-se exactamente neste sentido, em que devido à distância criada entre o patrão e o Sr. Manuel, juntamente com outros factores (como a crise) ele não dá um feedback realista sobre o seu trabalho, nem transmite com realismo os seus níveis de satisfação. O patrão pode considerar que o seu colaborador anda feliz com o seu emprego e de um dia para o outro as coisas “rebentarem” prejudicando o funcionamento da empresa (ineficácia no Marketing Interno da empresa, devido ao excesso de formalidade).

Marketing Informal I - Img I

O mesmo se pode passar com o consumidor/cliente (e restantes stakeholders), se ele não se sentir totalmente à vontade para dizer o que acha e o que pensa, vai se perder informação e não se vai conseguir satisfazer as suas necessidades, acabando por o “oferecer à concorrência”. Não interpretem o Marketing Informal como um processo em que todos temos que nos comportar como velhos amigos e tratar-nos por “tu”. O Marketing Informal assenta numa estratégia, mais ou menos, longa, que tem como principal objectivo reduzir a distância formal e burocrática entre fornecedor/prestador/vendedor e cliente/consumidor/utente.

Temos que nos saber relacionar com o cliente, sem nos esquecermos que cada cliente tem características, desejos e necessidades diferentes. Temos que nos saber tornar “informais” , procurando satisfazer o cliente da melhor forma. Lembre-se que, como Ser Humano, só é verdadeiramente honesto e sincero, sobre todas as suas emoções, necessidades e desejos se tiver um grau de confiança elevado com quem vai partilhar tal informação. Essa relação de confiança aumenta com a diminuição dos níveis de formalidade. Temos que ser informais com o nosso “target” para que o feedback o mais próximo possivel da verdade. Só assim poderemos superar as suas expectativas e até conseguir despertar novas necessidades, fidelizando-o, criando uma “marca” positiva na mente do consumidor/cliente. Existem sectores em que o excesso de formalidade é um forte obstáculo à passagem de informação, afectando directamente a eficácia do objectivo final – a venda!

Num próximo artigo, seremos mais técnicos nesta abordagem e procuraremos continuar com exemplos da ineficácia no excesso de formalidade. Até lá deixo o seguinte analogia entre Romance e Marketing; “Uma empresa de sucesso pretende identificar, vender e reter os clientes “certos”. Num romance pretende-se, encontrar a pessoa amada, conquista-la e manter a relação” In Platão MarketeerA complementar esta frase, acrescento que a relação é sempre melhor e mais próxima, se a informalidade estiver presente, quer no romance, quer na estratégia de construir a relação com um cliente.

Seja informal. Mas saiba como o ser..

 

Marketing Informal I - Img II

Paulo Morais

É atualmente responsável pela Follow Reference: Digital Health & E-business, onde tem desenvolvido grande parte do seu trabalho colaborando com Marcas de referência.

Mestre em Gestão de Marketing e pós-graduado em Direção de Marketing e Vendas pelo ISCTE.

Coordenador da Pós Graduação em Marketing Digital e Ebusiness da ANJE/UMINHOEXEC, docente na Pós-graduação em Marketing Digital e Comércio Eletrónico do ISVOUGA e Docente na Pós Graduação em Gestão de Marketing do IPAM.

Defende que só é possível acompanhar a dinâmica dos mercados se estivermos constantemente em “modo de partilha” razão pela qual criou o Marketing Portugal, um espaço de referência para partilha de conhecimento e debate de ideias sobre Marketing.

 

linkedin_logo_autor twitter_icon_autor icon_facebook_autor 

 

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.