AUTENTICAR
Marketing Portugal

Marketing Portugal

As leis fundamentais de SEO

Nesta minha primeira contribuição decidi abordar as bases teóricas que fundamentam a teoria do SEO.

A WWW é composta por diversos ecosistemas de pesquisa (Google, Yahoo, Sistemas de busca interna de qualquer website). No conceito fundamental de ecosistema está o processo de produção, indexação e apresentação de determinados conteúdos em detrimento de outros. Um ecosistema de pesquisa opera em três perspectivas:

  • Produtores de conteúdos – Todos nós que escrevemos na web
  • Indexadores – Percorrem as páginas, lêem o texto, atribuem-lhe um valor de ranking
  • Pesquisadores – Interpretam os valores do ranking mediante factores de relevância intrínsecos

Cada perspectiva tem o seu próprio objectivo e as suas prioridades, cujos critérios de participação são determinados arbitrariamente.

1ª Lei do SEO

“Para cada ecosistema de pesquisa existem precisamente 3 conjuntos de critérios arbitrários que determinam o resultado final do processo ”

A independência de cada perspectiva implica a sua optimização própria. Seguem exemplos de como cada uma poderá praticar esta optimização:

  • Produtores de conteúdos: constante actualização de conteúdos
  • Indexadores: manipulando estruturas de ranking
  • Pesquisadores : alterando o algoritmo de análise à relevância

2ª Lei do SEO

“O resultado de qualquer função de pesquisa é determinado pela inseparável união das três perspectivas ”

Devido a isto não se pode ignorar nenhuma das perspectivas, podendo cada ecosistema atribuir-lhes diferentes importâncias mas não a exclusão.

3ª Lei do SEO

Os fundamentos da economia explicam que apenas podemos participar num ecosistema se existir um benefício tangível, um retorno do investimento (ROI).

O estado óptimo de um ecosistema acontece quando todas as 3 perspectivas alcançam os seus objectivos em pleno.

“Os ecosistemas de pesquisa devem tender para um estado óptimo ”

Neste processo apenas é possível de alcançar dois estados:

  • Acordo
  • Conflito

O acordo entre duas ou três perspectivas acontece quando todas as intervenientes alcançam em pleno todos os seus objectivos, bastando que uma não o consiga para se gerar um estado de conflito.

4ª Lei do SEO

“Um ecosistema de pesquisa transita entre diferentes estados para a eliminação de conflitos com base na negociação ”

Cabe a cada perspectiva resolver os seus conflitos, devendo para tal utilizar técnicas de negociação e não de imposição.
Ecosistemas de pesquisa e ecosistemas de pesquisa em tempo real
 

Hoje em dia a noção de pesquisa já não se limita a sistemas de indexação demorados e de sistemas de ranking. Ao olharmos a fundo para aplicações como o Twitter, podemos afirmar que o paradigma de pesquisa está em mudança.

A própria Google e outros ecosistemas estão agora a adaptar-se a estes concorrentes, aplicando filtros de 24 horas. O problema é o volume de páginas que conseguem ser interpretadas, com ranking atribuído e ainda que não estejam no índice suplementar por alguma injustiça algorítmica.

 

Artigo escrito por: José Leite

 

A importância da presença nos motores de busca (SEO e SEA)

Na hora de implementar uma estratégia de web marketing, o nosso posicionamento nos motores de busca é um dos pontos fulcrais a contemplar. Afinal, estudos recentes da Google Portugal demonstram que 92% dos portugueses utilizam os motores de busca para tomar decisões, o que os torna no local online por excelência para estar. Ao pensarmos quais as ferramentas a utilizar para nos posicionarmos nos motores de busca, uma das questões que se coloca é onde devemos aplicar mais esforço e investimento: SEO ou SEA? Antes de nos debruçarmos sobre as vantagens e desvantagens de cada um, há que fazer um pequeno conceito e enquadramento sobre os mesmos: SEO - Significa Search Engine Optimization / Optimização para motores de busca. SEA - Significa Search Engine Advertising / Publicidade nos motores de busca

Para aprofundarmos o conceito, utilizaremos o conhecido exemplo do Google: SEO - quando realizamos uma pesquisa, os resultados orgânicos que dela advém, devem-se a um bom SEO do website, ou seja, a forma como a estrutura interna de cada uma das páginas foi construída. Por exemplo, quando colocamos no Google a palavra “marketing”, o facto deste blog surgir em segundo lugar, deve-se a uma série de boas práticas de SEO - baseadas em factores internos e externos. Boas práticas de SEO Factores Internos - diz respeito à optimização do próprio website, em termos de conteúdo (que deve ser relevante) bem como uma série de afinações realizadas no código-fonte, nomeadamente: título do website, Tags, MetaTags, Keywords, entre outros. Factores Externos - diz respeito à forma como outros websites interagem com o nosso. É o caso da quantidade de links que apontam para o nosso website - podendo, aqui, incluir-se a divulgação em blogs e redes sociais. Uma correcta conjunção destas boas práticas, melhoram consideravelmente a visibilidade dos websites na Internet. É com base nestas boas práticas e utilizando um sistema de pontuação, que o Google classifica as páginas de internet - de 1 a 10 - naquilo que se designa por Page Rank. SEA - quando realizamos uma pesquisa, para além dos resultados orgânicos, existem outros que surgem e que se inserem dentro da categoria de publicidade online e que se designam por links patrocinados - é o caso dos anúncios criados através do Adwords. Criar um anúncio online com o Adwords é fácil, o verdadeiro desafio está em conseguir que esse anúncio corresponda aos objectivos estratégicos e produza os resultados esperados. Para isso, há que saber construi-lo de acordo com a classificação de anúncios instituída pelo Google (sumariamente, este valoriza os anúncios que estejam intimamente relacionados com a pesquisa que foi realizada). Mas, afinal, em que ferramenta deveremos aplicar mais esforço ou investimento? Para auxiliar a essa decisão, há que nomear as principais vantagens e desvantagens de cada uma: SEO

Vantagens Desvantagens
  • Excelente para divulgação a longo prazo
  • Os resultados da pesquisa orgânica despertam mais atenção sendo, pois, mais passíveis de serem clickados
  • Não implicam pagamentos mensais
  • Há muitos utilizadores-comuns adversos a links patrocinados, pelo que resultados derivados da pesquisa orgânica são mais credíveis
  Surgir na posição que se ambiciona pode demorar algum tempo   Não aconselhável para acções das quais se pretenda um retorno imediato, como promoções ou campanhas   Apesar de não existir necessidade de pagamentos directos, implica um investimento de tempo e um know-how específico

SEA

Vantagens Desvantagens
  • É imediato. Excelente para divulgação a curto prazo
  • Um utilizador mais informado sabe que através dos links patrocinados, poderá encontrar exactamente aquilo que procura
  • Total controlo sobre o que aparece no anúncio e possibilidade do texto ser alterado a qualquer momento
  Implica um investimento mensal   Desperta menos atenção por parte dos utilizadores - visualmente, o olhar recai mais sobre os resultados da pesquisa orgânica   Muitos utilizadores-comuns são adversos aos links patrocinados   Certas palavras-chaves já são muito utilizadas, implicando um investimento muito elevado

Deste modo, o esforço e investimento a aplicar em SEO ou SEA numa estratégia de web marketing, depende dos objectivos, timming e público-alvo para o qual se está a comunicar. O ideal é ter esses pontos definidos e, a partir daí, fazer uma conjugação sensata entre as duas ferramentas. Se criarmos uma promoção pontual para o Natal, em que tenhamos de obter resultados em pouco tempo, o maior investimento deverá ser em SEA. Se, por sua vez, quisermos aumentar a notoriedade da empresa/marca, criando conteúdo de relevância no website, a principal escolha será investir em SEO. Olhe para a sua empresa e marca. O que pretende comunicar?

FONTES: E-commarketing Show - palestra de Pedro Tavares Wikipédia - http://pt.wikipedia.org/
 
 
Artigo escrito por: Paula Braz
Assinar este feed RSS